imaginação

Gosto de tirar fotografias e brincar com elas. Juntá-las assim parece que até podiam contar uma história, não acham?

Mas, por outro lado, o que tem a ver fazer um bolo e a lua? Um livro e uma árvore?…

Será que sugerem algo aos meus leitores? Será que tive uma intenção em colocá-las por esta ordem?

Não vos vou dizer mas espero ter estimulado a vossa imaginação.

Às vezes uma coisa pode ser tantas outras… Ou mesmo o nada parecer tudo.

projectos

Algumas das minhas últimas compras.

Actualmente estou tão “viciada” em tecidos e afins que já muito raramente compro coisas para mim.

Estes são tão deliciosos que até apetece comer! 🙂

Tenho ideia do que gostava de fazer com eles mas será um projecto arrojado…

Fadinhas da costura, não me querem dar uma ajuda?

cesto do incenso

Finalmente encontrei o cesto perfeito para pôr todo o meu incenso.

Sou muito olfactiva por isso ter cheiros pela casa é bastante comum.

Tenho vários que fui coleccionando ao longo dos anos, alguns são bastante antigos até e trazem-me memórias.

Não tenho qualquer um e sou bastante esquisita, sendo que muitos já são “obrigatórios”.

E vocês, gostam de incenso? Quais os vossos cheiros preferidos?

chá

A semana passada falei de meditação (para lerem os textos cliquem nos títulos), mas não fiz nenhuma referência à cerimónia do chá. Eu gosto muito de chá e já anteriormente mostrei parte da minha colecção.

Mesmo a propósito, encontrei um livro que já há muito procurava:

Escrito por Venceslau de Morais, profundo conhecedor da cultura oriental, a primeira edição remonta a 1905.

Não acham as imagens belíssimas?

E agora a cerimónia do chá:

Prepare uma chávena de chá, lenta e cuidadosamente. Permaneça relaxado mas atento aos pormenores. Ponha uma música meditativa – o som de chuva adequa-se bem. Use uma chávena simples e bonita. Escolha um chá de que goste, de boa qualidade (o chá verde* é sempre uma boa opção porque limpa as toxinas do organismo).

Quando o chá estiver pronto, dirija-se a uma zona agradável da casa, ou jardim. Sente-se confortável numa almofada, no chão, ou directamente na relva, descalço. Aprecie a beleza à sua volta. Inspire o aroma agradável do seu chá,  repare na  sua cor e saboreie cada gole. Sinta-se feliz com a luminosidade e beleza que criou para si mesmo.

“Quando tornamos o nosso mundo pacífico, belo e luminoso, o nosso coração e a nossa mente acompanham-no.”

* Por favor, tenham em atenção: quem tiver hipertensão ou qualquer outro problema cardíaco, não deve ingerir chá verde!

Como respiras?

“A natureza sagradas das árvores mostra-se de muitas maneiras: é o centro do mundo e suporta o universo; é um símbolo de vida, de inesgotável fertilidade, de imortalidade e de renascimento.”

Isto é o que se passa em Sintra. Centenas de troncos de árvores cortadas todos os Verões…

As fotos são da minha amiga Hazel, que tem sido incansável na divulgação desta causa. Eu mesma já divulguei o assunto mais do que uma vez aqui, no flickr e no facebook mas precisamos mais assinaturas.

Já repararam no atrelado vazio? Está à espera de mais árvores mortas…

Não importa de que lado do mundo se viva, cada árvore contribui incansavelmente para a nossa vida, seja pelo oxigénio, frutos e até sombra. Só quem nunca abraçou uma árvore não entende como transporta nela a energia da terra. Por favor, protejam as árvores!

Assinem a petição e divulguem a causa.

Entretanto… Importam-se de me explicar como se respira sem árvores?!

solstício de verão

Hoje é o dia mais longo do ano – comemora-se o solstício.

Todos os anos, milhares de pessoas dirigem-se a Stonehenge para assistirem aos primeiros raios solares deste dia e prestarem homenagem ao sol e, consequentemente, a toda a natureza e à própria vida em si.

Eu não pude estar lá (e tenho muita pena de não poder partilhar toda a magia daquele lugar tão especial), mas acordei de manhãzinha para meditar e fiz a minha coroa de flores.

Como não gosto de apanhar flores, e muito menos compra-las, fiz as minhas próprias flores, em feltro. Não vou andar com elas na cabeça mas vou prende-las e pendura-las num local da casa.

Deixo em baixo um vídeo para sentirem um pouco do que se passa em Stonehenge. Quanto a vocês não sei mas eu fico arrepiada só de ver… E agora vou apanhar sol!

ॐ – parte 5

Penso que já deu para perceber a importância do nosso estado interior para a nossa vida exterior.

Quanto mais relaxados estivermos, quanto melhor nos sentirmos com o nosso próprio ser, melhor nos sentiremos com as outras pessoas e mais facilmente lidaremos com os obstáculos do dia-a-dia.

As tensões e frustrações quotidianas não devem ser reprimidas, para o nosso próprio bem estar. Temos de arranjar forma de as dissipar. Para tal, arranje um local para onde se possa retirar sempre que se sentir invadido por sentimentos negativos. Pode ser o seu carro, um jardim, um canto mais sossegado no escritório ou o seu local preferido de casa. Aplique a técnica da tomada de consciência: respire fundo 3 vezes, lentamente, e tente colocar pensamentos positivos na sua mente. Apure os seus sentidos: sinta a respiração, o ar entrar e sair; dê uma rápida olhadela à sua volta. Há algum aroma agradável? Inspire-o. Expire, lentamente. Ouça os sons circundantes. Os pássaros cantam? Sorria. Sinta-se relaxado. Diga para sim mesmo:

Estou relaxado, calmo e em paz. Fico no momento sem qualquer dificuldade.

A meditação ensina-nos a enfrentar o nosso interior, em vez de o bloquearmos, rodeando-nos de conforto, comida, bebida, televisão e bens materiais.

Se é fácil? Não! Este é um trabalho contínuo e requer muito empenho. Garanto-vos que lido com isso todos os dias. Se me podem ver como na foto, saltitante, também me encontram em dias menos bons, em que nem me apetece sair da cama. Mas se tentarmos ser felizes não é o mais importante, então não sei o que será!

Aqui deixo os links de uns vídeos onde podem perceber melhor como funciona a meditação. Têm legendas e penso que explica muito bem todo o processo.

parte 1

parte 2

parte 3

parte 4

Aproveitem o fim-de-semana para ver os vídeos e começarem a praticar a vossa meditação. Fiquem bem.