[5 things i´m loving right now]

:: esta voz maravilhosa. beautiful girl, indeed!

:: este post da Virgínia que vai completemente de encontro ao percurso que pretendo fazer na minha própria vida também;

:: esta imagem da Cláudia. adoro sempre tudo o que ela põe no flickr; é uma rapariga cheia de bom gosto e inspiração;

:: algumas receitas do Centro Vegetariano que me estão a pedir para ir para a cozinha experimenta-las;

:: o vento forte que se tem feito sentir nos últimos dias e me fez lembrar este filme.

Advertisements

introspecção

Pensar é bom mas pensar demais é errado, não é o que dizem?

Porque é que então uns são pensadores, sábios filósofos que se empenharam a partilhar com os seus discípulos as suas reflexões mais profundas e outros “pensam demasiado”, sendo até intitulados de “anti-sociais”, pessoas que se perdem nas suas deambulações… “Anda sempre com a cabeça na lua”. Talvez o séc. XXI não seja tão dado a filosofias, não há tempo para nada… “Estás a pensar para quê?”. Falar parece bem mais importante e fazer então, nem sem fala. FAZER podia bem ser a palavra do século: é urgente estar sempre ocupado, com as mãos a fazer alguma coisa enquanto se fala ao telemóvel. E o tempo passa. E as pessoas fazem. Mas será que são? Quem são? Onde está a sua essência? Conhecem-na?

Antes de ser uma mulher da sociedade, sou uma mulher da natureza. Sempre o fui e sou-o cada vez mais. E é da minha própria natureza que ando à procura em mais uma época de introspecção.

da manta e da almofada

Depois de lavada e seca ao sol, encontrei o sítio perfeito para a minha manta nova. Nem todas as almofadas combinam com ela (tenho de fazer uma capa para as almofadas de riscas…) mas acho que fica lá bem, não concordam?

E já viram os elefantes? Mais uns quantos cá para casa, que nunca são demais! Já vos disse que adoro elefantes? Simbolizam força, prosperidade e sabedoria. E são a coisa mais querida, grandes e trapalhões, muito unidos, são para mim uma boa demonstração de família.

Achei que este seria o local ideal para fotografar a minha última criação: uma almofada para um menino muito especial, divertido, doce e inteligente.

O tecido da frente é com mé-més (ainda tenho idade para dizer esta palavra?…) e o de trás é diferente, com meninos japoneses a brincar. Estou ansiosa para ver a sua reacção, espero que goste!

wash and dry

Veio da feira não em muito bom estado – acontece muito frequentemente com as pechinchas. Sujinha, com um cheiro agressivo de quem esteve exposta durante muitos dias, à vista de todos. Mas eu gostei dela e trouxe-a comigo.

Já cá, na mesa de operações (banheira), temi pelo seu futuro, ao vê-la esvair-se em tinta… Nada que duas mãos carinhosas e um chuveiro habilidoso não pudessem resolver. Um amaciador delicado e cheiroso e muita água corrente fazem maravilhas.

Agora, recupera no estendal, receitada apenas com vento fresquinho e muita vitamina D. Esperemos que seja o suficiente para a trazer de volta à vida!

sweet things for sweet people

Se eu pudesse mandar no mundo, proibia afincadamente que as boas pessoas, aquelas de coração puro que estão cá no mundo de coração aberto para o seu semelhante, sempre com uma mão ou duas estendidas para ajudar, sofressem injustiças. Mas este mundo não é assim e eu ando a desistir de tentar compreende-lo… Nunca o vou compreender, sou só um grão de areia no meio do deserto… E assim nasceram estes projectos: para uma pessoa boa.

A capa de almofada e a capa para guardar agendas, cartas, documentos, lembranças…

Pois… neste mundo cão, as pessoas boas continuam a sofrer e, infelizmente, vão continuar a ser injustiçadas… Mas podemos sempre procurar colocar-lhes um sorriso nos lábios, não acham?