Jorge Cruz

 

Seguramente uma das minhas músicas preferidas. A letra é pura poesia e este senhor faz-me sempre parecer um trovador de outros tempos. Um dia convidou-me para um concerto e ficaram-me as suas palavras de poeta: “Espero que onde estejas o inverno seja tão gentil como aqui. Ou que então encontres essa gentileza nas pequenas coisas que unem tudo.”

 

Jorge Cruz, “Nada”:

Nada te espanta, nada te encanta
Nada te tomba ou te levanta
Sem passar dentro de ti
Nada te gera, nada te espera
Nao ha outono nem primavera
Sem que o sintas a surgir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir

E nada te atrasa, nada te arrasa
Nem que no ceu percas uma asa
Vais pegar de novo em ti
Nada te usa, nada te escusa
Mesmo se o mundo inteiro te acusa
So tu sabes pra onde ir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir eh eh

E nada te esmaga, nada te acaba
Nada te encolhe, nada te alarga
Nada te tenta, nada te inventa
Nada te pesa, nada te aguenta
Nada te falha, nada te empurra
Nada se ri enquanto te esmurra
Nada te esfria, nada te guia
Nada te ofende ou te desvia
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára, nada te pára
Nadaa….
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára
Nada…

 

Advertisements

One thought on “Jorge Cruz

Muito grata pelo comentário!

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s