2011 em crafts

E se este Natal apoiarem os artistas portugueses, comprando e oferecendo os seus produtos a quem mais gostam?

É uma bela forma de dinamizar a economia portuguesa, de elevar a nossa auto-estima enquanto povo, de valorizar o que se faz por cá. São peças únicas, onde se perde tempo e se valoriza a atenção aos pormenores.

No seguimento do que acabei de dizer, eis as peças que estão disponíveis, feitas por mim:

As peças do quadrado de cima encontram-se disponíveis na Maria Mellow, na secção têxteis e na secção das bolsas.

As de baixo estão no meu Danças com Trapos.

Cada vez que entro no meu atelier, inspirada para criar, dou muito de mim. Estudo padrões e cores – por vezes levo tempo, outras parece que são os próprios tecidos que me chamam a atenção e o processo desenrola-se facilmente… Erro, desmancho, volto atrás. Começo de novo. Mudo de ideias. Aprendo. Faço o que sei com amor e é com alegria que vejo uma peça terminada.

Para qualquer questão, contactem-me pelo email, por favor: alexas.box@gmail.com

Advertisements

Maria Mellow

Há umas semanas atrás fui convidada a participar num projecto que considerei bastante aliciante.

O objectivo era reunir num só lugar os trabalhos de artesanato de várias pessoas que partilham comigo esta paixão. O resultado desta parceria é este.

Para adquirirem qualquer um destes artigos, visitem a Maria Mellow.

E já agora, conheçam também os outros artistas que andam por lá no poleiro.

[uma gata no estúdio]

Quando se olha assim para um tecido caído da mesa, como que esquecido, exposto a todo o tipo de movimentos, que acham que pode estar por baixo?

Uma gata, pois claro! Mas há lá coisa mais encantadora que um tecido bonito para se brincar??

Hoje a Amélie esteve no estúdio comigo enquanto trabalhava. Que aventura! Desde saltar para cima da mesa para investigar se eu estava a fazer tudo bem a ficar siderada a olhar para o meu pé movimentar-se na pedaleira da máquina, esta menina andou por todo o lado, tive sorte que não deu pelo cesto dos meus novelos ou não teria feito progressos num projecto que ando a trabalhar.

Quando eu estava há demasiado tempo concentrada, sem lhe dar atenção, olhava-me com aquelas azeitonas verdes: “Então quando é que te despachas para vir brincar comigo?”.

Ou literalmente saltava-me para o colo… No final do dia, compensei-a: peguei nela e dançamos ao som desta música. Coisas dos nossos dias.

 

da manta e da almofada

Depois de lavada e seca ao sol, encontrei o sítio perfeito para a minha manta nova. Nem todas as almofadas combinam com ela (tenho de fazer uma capa para as almofadas de riscas…) mas acho que fica lá bem, não concordam?

E já viram os elefantes? Mais uns quantos cá para casa, que nunca são demais! Já vos disse que adoro elefantes? Simbolizam força, prosperidade e sabedoria. E são a coisa mais querida, grandes e trapalhões, muito unidos, são para mim uma boa demonstração de família.

Achei que este seria o local ideal para fotografar a minha última criação: uma almofada para um menino muito especial, divertido, doce e inteligente.

O tecido da frente é com mé-més (ainda tenho idade para dizer esta palavra?…) e o de trás é diferente, com meninos japoneses a brincar. Estou ansiosa para ver a sua reacção, espero que goste!

sweet things for sweet people

Se eu pudesse mandar no mundo, proibia afincadamente que as boas pessoas, aquelas de coração puro que estão cá no mundo de coração aberto para o seu semelhante, sempre com uma mão ou duas estendidas para ajudar, sofressem injustiças. Mas este mundo não é assim e eu ando a desistir de tentar compreende-lo… Nunca o vou compreender, sou só um grão de areia no meio do deserto… E assim nasceram estes projectos: para uma pessoa boa.

A capa de almofada e a capa para guardar agendas, cartas, documentos, lembranças…

Pois… neste mundo cão, as pessoas boas continuam a sofrer e, infelizmente, vão continuar a ser injustiçadas… Mas podemos sempre procurar colocar-lhes um sorriso nos lábios, não acham?

working

Mergulhar no trabalho quando não se pode mergulhar num rio pode ser uma boa alternativa. Não é tão refrescante para o corpo mas uma cabeça atabalhoada agradece. Estou dedicada a uma encomenda que tem intenção de ser um presente de agradecimento e uma tentativa de dar conforto a alguém que está a precisar.

Escolhi cores e padrões doces que combinam com as minhas papilas gustativas recentemente – só me apetece fruta fresca e água. Vou andar com a minha caixa de costura atrás enquanto sonho com nascentes de água fresca e férias no campo…

2 anos e a manta

Pois é, já são dois anos em que “A violeta dança” por aqui. Como forma de comemorar fiz esta manta que está disponível na loja.

Cada um dos 120 quadrados foi cosido à mão, levou-me muitos dias mas deu-me um prazer imenso. À medida que as minhas mãos se iam movendo, imaginava uma família com crianças que leva esta mantinha para o jardim e se sentam todos juntos a ler uma história.

Planeava, portanto, levá-la para a relva para a fotografar mas a chuva trocou-me as voltas e obrigou-me a improvisar. Imaginei-me a apanhar banhos de sol, como tal, um chapéu e um livro pareceram-me apropriados.

A manta tem dois lados, que podem ser usados consoante a vontade dos seus donos. Do segundo lado escolhi cores solares, com padrões suaves a contrastar com lisos.

Quando iniciei este blog estava cheia de ideias na cabeça, vontade de as pôr em prática e de as partilhar com pessoas. Pessoas que, tal como eu, precisam de se sentir criativas no seu dia-a-dia, que sentem comichão nas mãos e uma vontade imensa de aprender. Há um ano atrás, agradeci a essas mesmas pessoas que me têm acompanhado e que, de alguma forma, se identificam com o que aqui escrevo. Continuo a sentir-me ainda estranha neste mundo virtual, onde a maioria das pessoas adora receber feedback dos outros mas depois sentem-se com um ego demasiado grande para responder de volta. Isso talvez seja um reflexo dos dias que correm e do egoísmo desta sociedade demasiado perdida em futilidades…

Estou a precisar de uma pausa e de me concentrar um pouco na minha vida pessoal. Vou continuar a seguir o trabalho das muitas pessoas que visito diariamente, isso já se tornou um hábito que não me apetece perder. E, claro, continuo muito GRATA por cada comentário que aqui deixam, ou no meu Flickr ou página do Facebook. Nos próximos tempos, podem encontrar-me por lá.

Grata por tudo!

Um abraço