dance like no one´s watching

Hoje a dança toma conta da violeta com duas propostas bem interessantes.

*Em cima, o trailer do documentário de Wim Wenders, “Dance, dance, otherwise we are lost”. Trata-se de uma homenagem à obra da coreógrafa e bailarina alemã Pina Bausch, falecida em 2009. Este filme será lançado no Festival Internacional de Cinema de Berlim, este ano e eu estou em pulgas para o ver.

*E ainda o link para uma cena do filme Singin´in the Rain, com o charmosíssimo Gene Kelly. Um clássico que vimos este fim-de-semana cá em casa, cuja cena me ficou na memória. O vento como terceiro parceiro de dança, a fazer-me lembrar um espectáculo de dança que vi há uns anos, no CCB, onde os bailarinos se atiravam para o chão, de forma crua quase violenta, encarnando o vento… infelizmente não me recordo agora do nome mas levou-me às lágrimas.

Vocês também se emocionam com a dança?

Equilíbrio

Já há muito tempo não ía sozinha a uma sala de cinema mas, pela história, estar comigo mesma fazia todo o sentido.

Gostei do filme mas devo confessar que mais por poder ver os locais de “perto”. Acho que esta foi a minha imagem preferida:

Não sei se quem nunca leu o livro iria perceber a verdadeira intenção da busca da personagem principal. Senti falta de uma data de pormenores do livro – a dificuldade que é fazer meditação, por exemplo – as passagens foram talvez demasiado rápidas e, no fim, disseram que a palavra da Liz era uma diferente do livro (não era attraversiamo).

De qualquer forma, valeu a pena mas prefiro realmente o livro e as lições que dele tirei, demasiado íntimas para revelar aqui. Mas partilho a mensagem principal e a música do Eddie Vedder, que ADORO:

“Balance is not letting anyone love you less than you love yourself.”

descobertas

Não sei o que fizeram ao Outono mas, com a chuva e vento fortes destes dias, parece que o Inverno já chegou e eu só quero ficar em casa.

Para este fim-de-semana reservei leituras e um filme que já queria ver há muito.

Cada vez mais me interesso por comida na sua concepção mais verdadeira e despretensiosa. Então a minha nova loucura são os livros de culinária.

Gosto da cozinha da Mafalda (falo da comida e  do próprio espaço em si), por ser prática e funcional e estou ansiosa por poder experimentar algumas das suas receitas deliciosas.

Mas o que me está mesmo a apetecer é deitar-me no sofá com o livro da Elizabeth Gilbert.

O livro é de 2006 e já vai na 11ªedição mas só agora o descobri (toda a gente fala dele, é um facto). Há bocado li a introdução e tive que parar. Acho que uma sensação de medo me invadiu (ok, é estranho mas não é medo de livros – se ler é das coisas que mais amo…). E isso acontece-me quando sinto que estou prestes a entrar num “terreno perigoso”. Não sou maluca, mas é que ler sobre uma mulher que decide largar tudo para ir à procura de si mesma em países como a Itália e Índia é algo que podia ter sido escrito por mim… (perdoem-me se pareço armada em escritora) mas essa mulher podia ser eu, tal é a minha vontade de conhecer estes países.

Em mim sempre prevaleceu um desejo quase secreto de largar tudo e partir à descoberta. Talvez um dia ainda o faça. Por agora, só conheço duas maneiras de o fazer: com livros que nos transportam para lugares onde gostaríamos de estar ou filmes que nos prendem a um passado bem diferente.

5000 visitas movie party!

Reparei recentemente que este meu doce e pequeno blog já recebeu mais de 5000 visitas. Para tod@s aquel@s que me têm visitado o meu maior obrigada!!

Em menos de um ano* 5000 visitas é, para mim, motivo de celebração! E, como tal, decidi oferecer-vos a oportunidade de verem um dos meus filmes favoritos:

Podem consultar a sinopse e ficha técnica aqui. Para começarem a ver o filme basta clicarem aqui. No final de cada parte, aparecerá a parte seguinte (depois da parte um aparecerá a dois e assim sucessivamente). São 18 partes no total e estão todas visíveis.

Apesar de silencios@s, dou muito valor a quem me lê e gostava de conhecer a vossa opinião, receber as vossas críticas construtivas e, quem sabe até, trocar ideias. Por favor, apresentem-se aqueles que me seguem calados, tenho muito gosto em conhecer-vos!

Espero que gostem do filme!

Ondas de boas energias para tod@s!

* (brevemente será o primeiro aniversário do Danças com Trapos e mais surpresas virão a caminho!)