a minha música de natal

Tiptoe by the window
By the window, that is where I’ll be
Come tiptoe through the bluebells with me

Tiptoe from your pillow
To the shadow of the willow tree
And tiptoe through the bluebells with me

Knee deep, in flowers we’ll stray
We’ll keep the showers away

And if I kissed you in the forest
In the moonlight, by the old old tree
Come tiptoe through the bluebells with me

Knee deep, in flowers we’ll stray
We’ll keep the showers away

Tiptoe by the window
By the window, ’cause that is where I’ll be
Come tiptoe through the bluebells with me
With me

 

Jorge Cruz

 

Seguramente uma das minhas músicas preferidas. A letra é pura poesia e este senhor faz-me sempre parecer um trovador de outros tempos. Um dia convidou-me para um concerto e ficaram-me as suas palavras de poeta: “Espero que onde estejas o inverno seja tão gentil como aqui. Ou que então encontres essa gentileza nas pequenas coisas que unem tudo.”

 

Jorge Cruz, “Nada”:

Nada te espanta, nada te encanta
Nada te tomba ou te levanta
Sem passar dentro de ti
Nada te gera, nada te espera
Nao ha outono nem primavera
Sem que o sintas a surgir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir

E nada te atrasa, nada te arrasa
Nem que no ceu percas uma asa
Vais pegar de novo em ti
Nada te usa, nada te escusa
Mesmo se o mundo inteiro te acusa
So tu sabes pra onde ir

Tu és a escala
A mao que embala
Tomas bem conta de ti
Tu és a escala
A mao que embala
Tens um rumo a seguir eh eh

E nada te esmaga, nada te acaba
Nada te encolhe, nada te alarga
Nada te tenta, nada te inventa
Nada te pesa, nada te aguenta
Nada te falha, nada te empurra
Nada se ri enquanto te esmurra
Nada te esfria, nada te guia
Nada te ofende ou te desvia
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára, nada te pára
Nadaa….
Nada te pára, nada te pára
Nada te pára
Nada…

 

Há vozes assim… que nos chegam a um cantinho especial da alma e se deixam lá ficar.

Com o tempo, habituamo-nos à sua presença e esquecemos mas… quando menos dermos por isso, já fazem parte de nós.

E assim é… o processo de enriquecimento interior: gota a semente, semente a alimento, alimento a energia, energia a acorde, acorde a ouvido= sorriso no coração.

[aaaaahhhhhh]

 

Mas que raio me aconteceu para me ter passado completamente ao lado o dia de ontem?! Ando a dormir? Cansaço? Estou velha?!? Mas como é possível eu, que grito aos sete ventos como sou fã, vou a todos os concertos que posso (fosse eu rica e garanto-vos que passava a vida a percorrer o mundo atrás deles – acho que daria uma bela groupie, ahem…) e reconheço qualquer música ao primeiro acorde… como?! Sabem explicar-me?!…

Talvez tenha ficado confusa desde o último concerto… não percebi porque raio fizeram uma pausa no ano em que comemoravam os 20 anos (foi no ano passado, não neste) e nada fizeram para lembrar a data.

Ontem, foi exibido o documentário acima em algumas salas e eu não fui… Há ainda um livro e a banda sonora deste Pearl Jam Twenty… Dizem que voltam em 2012 com novo álbum e talvez um concerto (?)… Mas eu estou demasiado zangada comigo mesma porque perdi esta oportunidade…

Com licença, que vou para ali gritar bem alto!